Wednesday, May 30, 2007

Saturday, May 26, 2007

Wednesday, May 23, 2007

Alguém iluminado me explica a importância disto?!?

Hoje acordei machista! LOL :P

Os homens são como o vinho: todos começam como uvas. Cabe às mulheres amassá-los, pisá-los e enclausura-los até que amadureçam.
As mulheres também são como o vinho: com o passar dos anos umas refinam o sabor, outras azedam. As que azedam é por falta de uma boa rolha...

Sunday, May 20, 2007


eram as estrelas, caminhante,
o mapa que não soubeste decifrar
mas vais continuar e continuar
perdido para sempre.

(J.L.Peixoto)

Saturday, May 19, 2007


E estes dias serão mil anos
Nas contas da tua vida;
E esta noite será eterna,
Uma chama que liberta o dia.
Partilhar o Sol de todos os dias,
Descobrir um sentido pr'aqui estar,
E ao olhar o vale profundo,
O Mundo gira invertido,
A vida toda num segundo,
E o Céu... agora é lá no fundo.

Thursday, May 17, 2007


Sonhadores inatos
Sobreviventes natos

Nem sempre somos exactos

Nem sempre conseguimos evitar os factos
Os actos
Os nossos factos.


(Jorge Palma)

Wednesday, May 09, 2007

Ontem...

Dizem que com o passar do tempo nos habituamos... mas acho que nunca vou lidar de ânimo leve com a morte...

Sunday, May 06, 2007

Thursday, May 03, 2007

Tuesday, May 01, 2007

Leituras para a alma...


caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
a terra estende-se infinita nos teus passos
ao passares o horizonte serás último
e partindo de mim avanças

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
onde o lugar das palavras que esquecemos?
se o nosso mapa foi o sol e as manhãs
onde foi que nos perdemos?

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
como um martírio triste como um homem cansado
como a morte ao fim da tarde como um rio
como um silêncio profundo a levar-te

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
começam hoje os dias os meses os anos depois de ti
começa hoje a ser recordação apenas o quanto vivi
e partindo de mim avanças

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
não vás porque a vida é aqui e o esquecimento é longe
mas tu não me ouves já avanças
e a noite segura-te por onde vais

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
ainda agora partiste e és já uma memória desfocada
não vás porque a vida é aqui e o esquecimento é longe
e as minhas palavras não valem nada

caminha pelo teu corpo um silêncio como uma aragem
avanças devagar percorrendo um grande caminho
a tarde morre de repente num silêncio como uma aragem
e fico morto esquecido mutilado sozinho

(José Luís Peixoto)